COM O TEMPO A GENTE SE ACOSTUMA…

02

mar

Há situações que poderiam ser mudadas, mas porque não as mudamos? Porque não fazemos nada para melhorar?


Com o tempo a gente se acostuma a dizer sempre as mesmas coisas, a ser sempre do mesmo jeito, “ei; sou assim mesmo…”. Com o tempo a gente se acostuma a ficar inerte, imóvel, diante dos mesmos erros que anos e anos vem se repetindo. Com o tempo a gente se acostuma a ter o mesmo caráter, agressivo, critico, impiedoso e cruel ao ver o defeito do outro. Não há espaço para o elogio, o carinho, o reconhecimento.

Com o tempo a gente se acostuma com o próprio pecado, ele já não incomoda. Com o tempo, a gente se acostuma a ligar a tv e ver a violência, a corrupção a maldade, programas com “selo da qualidade” da Rede Globo, Big Brother Brasil, e a Fazenda da Record. Somos capazes de jantar ou almoçar em frente da tv enquanto são desfiladas imagens grotescas e estúpidas.

Há situações que poderiam ser mudadas, mas porque não as mudamos? Porque não fazemos nada para melhorar? Aos poucos vamos acostumando a dormir mal, comer mal, respirar um ar poluído, andar com péssima companhia.

Com o tempo a gente se acostuma, uma semana, um mês, um ano… Com o tempo a gente se acostuma, tudo parece ficar normal. A gente se acostuma, mas não devia. É preciso aprender a utilizar corretamente o tempo.

Muitas pessoas já perceberam que tempo é mais importante que dinheiro. Dinheiro é recurso renovável: sempre haverá onde conseguir mais. Ao contrário do dinheiro, tempo é recurso limitado. Você tem apenas uma porção de tempo para sua vida. Quando for usada, acabou-se!

Seu tempo é sua vida. Ao dar seu dinheiro a alguém, você estará dando algo que pode ser substituído. Mas quando dá seu tempo, deu parte de sua vida. Pensando nestes termos compreende-se que administração do tempo é, na verdade, administração da vida.

A Bíblia tem o seguinte a dizer sobre isso: “Vivam com o devido senso de responsabilidade… como pessoas que conhecem o significado da vida… Façam o melhor uso do seu tempo. Não sejam indecisos, mas agarrem firmemente o que saibam ser a vontade de Deus” (Efésios 5.15-17).

Roque Carvalho



Comente: