“DO LADO ESQUERDO DO PEITO”

20

jul

“Um amigo não caminha apenas no shopping. Anda em silêncio na dor, entra contigo em campo, sai do fracasso ao teu lado”.


 

Segundo o poeta Milton Nascimento, “Amigo é coisa para se guardar do lado esquerdo peito”. Carlos Drummond de Andrade demonstrou o seu amor pelos amigos, afirmando que andava meio torto pela perda de alguns deles: “Vou carregando meus mortos no lado esquerdo do peito – e, por isso, ando meio de banda”.

Para que serve um amigo? Para rachar a gasolina, recomendar um DVD, dar carona pra festa, passar cola, caminhar no shopping, segurar a barra. Essas alternativas pode até ser validas, mas sinceramente, para “morar do lado esquerdo do peito”, e fazer-nos “andar meio de banda”, é preciso muito mais do que isso.

É preciso rachar mais do que gasolina, dar carona e andar junto no shopping. Concordo com a poetisa Ana Beatriz: “Um amigo não caminha apenas no shopping. Anda em silêncio na dor, entra contigo em campo, sai do fracasso ao teu lado”.

Um amigo sabe a hora de chegar e a hora de sair. Amigo não é aquele que diz o que você quer, mas o que você precisa: “Assim como o ferro afia o ferro, o homem afia o seu companheiro, (Provérbios 27.17) Um amigo não passa apenas cola, passa confiança, passa junto pelas adversidades, e se transforma em irmão: “amigo ama em todo o tempo; e para a angústia nasce o irmão”, (Provérbios 17.17)

Amigos são aqueles a quem você revela segredos: “Já não os chamo servos, porque o servo não sabe o que o seu senhor faz. Em vez disso, eu os tenho chamado amigos, porque tudo o que ouvi de meu Pai eu lhes tornei conhecido”, (João 15.13)

Amigo é mais do que gravar nas costas palavras de fidelidade ao outro. Amigo é mais do que estar disposto a matar, mas dar a vida pelo outro: (Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida pelos seus amigos, João 15.13).

Pr. Roque Carvalho



Comente: