ÉTICA DO COMPORTAMENTO CRISTÃO

28

abr

“A melhor maneira de mudar o mundo é fazer um circulo ao redor de si mesmo e começar as mudanças a partir do lado de dentro do círculo. ”


As semifinais do Campeonato Paulista nos deixou uma lição importante sobre ética. A atitude do zagueiro Rodrigo Caio, que evitou que o atacante Jô, jogador do Corinthians, levasse um cartão amarelo, fair play, foi ato de elogio e discussão sobre o comportamento moral que que deve nortear a vida de todo ser humano. O Jogador Jô, do Corinthians, levou cartão amarelo pelo árbitro da partida que entendeu que ele havia pisado no pé do goleiro do São Paulo. Rodrigo Caio levantou a mão e disse ao árbitro que ele havia pisado, e não o Jô. O cartão amarelo foi então retirado.

Muitos aplaudiram e outros, incluindo atletas, admitiram que não teriam o mesmo espírito esportivo, e não viram com bons olhos a atitude do jogador: “Eu acho que é melhor a mãe dele chorando do que a minha. Prefiro a mãe dos meus adversários chorando do que a minha”, disse o zagueiro Maicon, também zagueiro do São Paulo. O jogador Rodrigo Caio, quando perguntando sobre seu gesto disse: “Fiz só que tinha de fazer”.

Na nossa sociedade tão decadente a frase deixa de ser bobo, todo mundo faz. Em 1976, uma propaganda de cigarros, tendo o jogador Gérson como protagonista de uma frase que até hoje é discutida, que levou o nome de A “Lei de Gérson”. Na propaganda, o jogador, que mais tarde se arrependeu de associar a sua imagem a uma marca de cigarro, paga o preço do uso do cigarro em sua saúde, afirmava: “Gosto de levar vantagem em tudo, certo? Leve vantagem você também…”.

Levar vantagem sobre o outro se tornou uma  prática quase que diária em nossos dias. Dentro dela estão embutidas práticas como a do médico que solicita um “por fora” argumentando que a remuneração do plano de saúde não é satisfatória. Do político que se vende para aprovar e desaprovar projetos; do empresário que molha a mão do pessoal que libera carga na alfândega. E nosso Governo Federal e Estadual, que combate o jogo ilegal e promove o jogo “legal”. Que ética é essa? Jogo é jogo, sempre quem perde é quem joga. Muitas pessoas que por direito deveriam ter uma vida melhor tentam na sorte, gastando o que não tem por uma propaganda covarde de que quem não jogar nunca ganhará. Na proporção de possibilidades gerações jogando jamais ganharão.

De forma bem sucinta, a ética rege os princípios que regem a vida de uma comunidade. Ética é uma reflexão teórica que analisa, critica ou legitima os fundamentos e princípios que regem um determinado sistema moral. Ética é princípio; moral são aspectos de condutas específicas.  Ética é permanente; moral é temporal. Ética é universal; moral é cultural; Ética é teoria; moral é prática. A ética deve ser, portanto, aplicada moralmente através dos códigos legais. As leis são instrumentos de regulamentação social. Nem tudo o que é legal é ético, isto é, nem sempre a observância da lei é o melhor caminho para a realização do ideal ético e promoção da justiça.

A discussão é longa, e vale a pena debater sobre o assunto. De forma bem elementar, em relação ao fato narrado, a melhor maneira julgar o fato seria o seguinte: “A melhor maneira de mudar o mundo é fazer um circulo ao redor de si mesmo e começar as mudanças a partir do lado de dentro do círculo. ” Isto deve ser um principio para todos nós.

Deixo um principio ensinado por Jesus que deve nortear o nosso viver: “Assim, em tudo, façam aos outros o que vocês querem que eles lhes façam; pois esta é a Lei e os Profetas (Mateus 7.12)”.

Pr. Roque Carvalho

 



Comente: