IGREJAS CLANDESTINAS E ILEGAIS

17

abr

Em nossos dias em que vemos os maus exemplos administrativos em nossa nação, a liderança eclesiástica precisa dar um bom exemplo.


Embora à Igreja seja “noiva de Cristo”: “Vi a Cidade Santa, a nova Jerusalém, que descia dos céus, da parte de Deus, preparada como uma noiva adornada para o seu marido”, (Apocalipse 21.2), (e de fato ela é, mas não somente), este conceito não conseguirá desobrigá-la de suas funções sociais, jurídicas, administrativas, trabalhistas, fiscais e enfim legais. Todo o simbolismo do casamento do Cordeiro com a igreja apresenta um belo conto romântico, e a noiva precisa estar condizente com o noivo. Cremos e aceitamos este simbolismo belíssimo que retrata a Igreja de Cristo. A Igreja, biblicamente, é a comunidade dos salvos e conduzida por Cristo que é a sua cabeça (Ef 1:22; 5:23).

No entanto, é necessário que a liderança da igreja tenha o discernimento que já passou o tempo reconhecerem que a igreja/templo/denominação não são apenas um “local” de reunião de pessoas. O Estado que trata a igreja organizada como uma “pessoa”, pelo menos do ponto de vista jurídico. É inadmissível que a grande maioria de igrejas sejam clandestinas e ilegais.

Inscrição no Cadastro do CNPJ: As igrejas devem ser registradas em cartório; a igreja matriz e suas filiais, cuja a identificação, no caso das congregações, será pelo número de ordem e barra do referido CNPJ. O carimbo do CNPJ é obrigatório o uso do carimbo do CNPJ para a igreja matriz e suas congregações.

Livro Caixa ou Diário/Razão: Conforme determina o Regulamento do Imposto de Renda, a igreja é obrigada a possuir um Livro Caixa com o Balanço de Abertura, Termo de Abertura e Termo de Encerramento, o qual depois de registrado em cartório, a igreja deverá iniciar a escrituração de todas as receitas e despesas e as contas patrimoniais.

Livro de Ata: A igreja está obrigada a possuir o Livro de Ata, devidamente registrada em cartório com os devidos Termos de Abertura e Termo de Encerramento.

Rais Negativa: Todas as igrejas, devem apresentar anualmente e dentro do prazo legal a RAIZ NEGATIVA, quando as igrejas não possuírem empregados registrados, conforme determinação da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

Declaração de Isenção: Todas as igrejas estão obrigadas a entregar anualmente a Receita Federal, a cada ano, sua Declaração de Isenção do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica.

Matricula no INSS: Após o registro do estatuto e da inscrição do CNPJ, a igreja deve providenciar sua matrícula no INSS.

Ata de Eleição da Diretoria: A igreja deve transcrever em Ata da Eleição da última diretoria e providenciar seu registro em cartório

Imposto Sindical Patronal: De natureza jurídica as entidades sem fins lucrativos, como no caso das igrejas, são consideradas empregadoras. Portanto, deverão recolher no mês de janeiro de cada ano o imposto sindical patronal ou solicitar a sua isenção.

Contrato de locação: Se o templo for alugado ou Escritura definitiva dos imóveis, Contrato de cessão de direito dos imóveis.

Fazer a Contabilidade: A contabilidade torna-se obrigatória porque é necessária para a prestação de contas perante aos membros, como também para fins de isenção do Imposto de Renda.

Em nossos dias em que vemos os maus exemplos administrativos em nossa nação, a liderança eclesiástica precisa dar um bom exemplo. A igreja não pode funcionar apenas sob um sentido teológico ou numa elevada intenção e postura espiritual. E por conta dessa situação que os pastores, pastoras e dirigentes são muito mais responsáveis no que tange a ilegalidade e clandestinidade das igrejas evangélicas. O que se espera é no mínimo transparência por parte da liderança que deve dar o exemplo: Tu, pois, que ensinas a outro, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas? (Romanos 2.21). A administração eclesiástica tem de dar o perfeito exemplo da mordomia gerenciando a obra de Deus que a eles foi confiada, (2ª Tm 2.21; Lc 12:42; 14:28-32; Ex: 18:21).

Leia mais em http://contigrejas.com.br/noticias/como-registrar-e-legalizar-uma-igreja

A CONTIGREJAS OFERECE A TODAS AS IGREJAS A LEGALIZAÇÃO A CUSTO ZERO.

E A CONTABILIDADE POR UM VALOR INACREDITÁVEL

Pr. Roque Carvalho



Comente: