JULGAMENTO PRECIPITADO

29

jun

Quando sentou-se na poltrona do avião, com ar ainda indignado e morrendo de raiva, foi colocar o livro dentro da bolsa, veio a surpresa! O seu pacote de biscoito estava lá, ainda intacto, fechadinho!


Esperando para embarcar em seu voo a jovem abriu o livro que trazia na bolsa e comprou um pacote de biscoitos. Sentou-se na sala de espera, abriu o livro e começou a degustar os biscoitos ao lado da poltrona. Ao lado dela já estava sentado um homem que também esperando o seu voo lia o seu jornal. A jovem então começou a ler o livro e comer os biscoitos. De repente o a sua se encontra com a mão do homem na boca do saco de biscoitos.

Ela sentiu-se indignada coma a cara de pau do homem a seu lado. Apenas pensou consigo mesma: “Se eu estivesse mais disposta, lhe daria um soco no olho, e ia dizer a este mal educado e grosseiro poucas e boas, para que ele nunca mais esquecesse”!

A cada bolacha que ela pegava o homem também pegava uma. Aquilo a deixava tão indignada que não conseguia nem reagir. Quando faltava apenas uma bolacha, ela voltou a pensar: “ah…. o que será que este cretino vai fazer agora?”. Para a sua surpresa ele meteu a mão primeiro do que ela no saco de biscoitos e disse: “Vou dividir com você”. Ele então dividiu a última bolacha ao meio, deixando a outra metade para ela.

Chegou a hora do seu vôo e ela se levantou fulminando o homem um com olhar crítico, que se olhar matasse ele teria morrido na hora. Aquilo era demais! Que safado! Que ordinário!

Quando sentou-se na poltrona do avião, com ar ainda indignado e morrendo de raiva, foi colocar o livro dentro da bolsa, veio a surpresa! O seu pacote de biscoito estava lá, ainda intacto, fechadinho! Distraída, não observou que não havia tirado o pacote de biscoito da bolsa.

O homem havia dividido as bolachas dele sem se sentir indignado, nervoso ou revoltado, enquanto ela tinha ficado muito transtornada, pensando estar dividindo as dela com ele. Que vergonha! Onde enfiar a cara! Ainda bem que ele não estava lá e quem ninguém havia visto.

Quantas vezes, em nossa vida, nós é que estamos comendo as bolachas dos outros, e não temos a consciência disto? Pior, Julgamos o caráter das pessoas sem lhes dar a chance de defesa. Sentenciamos, condenamos. Claro, é muito mais fácil julgar os outros do que a si mesmo.

Este livro maravilhoso chamado de Bíblia nos Trás vários conselhos sobre o julgamento precipitado sobre a atitude da outra pessoa com convivemos diariamente:

Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Quem fala mal de um irmão, e julga a seu irmão, fala mal da lei, e julga a lei; ora, se julgas a lei, não és observador da lei, mas juiz. Há um só legislador e juiz, aquele que pode salvar e destruir; tu, porém, quem és, que julgas ao próximo? Tiago 4.11, 12).

 

 Porque com o juízo com que julgais, sereis julgados; e com a medida com que medis vos medirão a vós. (Mateus 7.2)

Pr. Roque Carvalho



Comente: