LIÇÕES QUE SOMENTE DEUS PODE ENSINAR

02

jun

Durante a nossa existência aprendemos muita coisa. Aprendemos a ler, escrever, praticar esportes, andar de bicicleta, nadar, como ser espertos, calcular riscos, a investir, a cuidar de nós mesmos.


 

Durante a nossa existência aprendemos muita coisa. Aprendemos a ler, escrever, praticar esportes, andar de bicicleta, nadar, como ser espertos, calcular riscos, a investir, a cuidar de nós mesmos. Há muitas pessoas que podem passar pela vida sem aprender essas duas coisas simples, nadar e andar de bicicleta. Há muitas coisas que aprendemos na escola e outras com com a vida, sejam boas ou ruins.

Agora, com aprender a viver e dar sentido à vida? Viver de forma consistente? Aproveitar bem.

O Salmo noventa, escrito por Moisés, não nos fala da vida no além, nos fala da vida aqui e agora e aborda a sua brevidade bem como as suas adversidades. Retrata um homem com mais de noventa anos de idade que viveu 120 anos. Um homem, que nos diz, foi guardado por Deus e mesmo em sua velhice (Dt 34:7) Tinha Moisés a idade de cento e vinte anos quando morreu; não se lhe escureceram os olhos, nem se lhe abateu o vigor.

 

O pressuposto da Bíblia (e bom seria que sempre o tivéssemos em mente) é que tudo o que nos acontece está sob a supervisão de Deus, porque Ele é o Senhor de tudo e de todos. Ele é o autor indireto de tudo, até do sofrimento. Os anos são bons? Deus os autorizou. Os anos são duros? Deus os permitiu. Quem chegou aos 80 e os superou deve saber que foi Deus quem autorizou esta abundância toda. Faz-se necessário entender que a aflição vem, na verdade, em muito, tem a ver com nossas próprias escolhas.

Este salmo nos fornece saber o quanto à vida é breve e como saber viver a vida com sabedoria. Nos versículos 1,2 ele estabelece a eternidade de Deus, passa a traçar a brevidade da vida do ser humano: “Senhor, tu és o nosso refúgio, sempre, de geração em geração. Antes de nascerem os montes e de criares a terra e o mundo, de eternidade a eternidade tu és Deus. (Salmos 90.1,2)

1-(Oração de Moisés, homem de Deus) Senhor, tu és o nosso refúgio, sempre, de geração em geração.
Ver: 2-Antes de nascerem os montes e de criares a terra e o mundo, de eternidade a eternidade tu és Deus.
Ver: 3-Fazes os homens voltarem ao pó, dizendo: “Retornem ao pó, seres humanos!”
Ver: 4-De fato, mil anos para ti são como o dia de ontem que passou, como as horas da noite.
Ver: 5-“Como uma correnteza, tu arrastas os homens; são breves como o sono; são como a relva que brota ao amanhecer;”
Ver: 6-germina e brota pela manhã, mas, à tarde, murcha e seca.
Ver: 7-Somos consumidos pela tua ira e aterrorizados pelo teu furor.
Ver: 8-“Conheces as nossas iniquidades;não escapam os nossos pecados secretos à luz da tua presença.”
Ver: 9-“Todos os nossos dias passam debaixo do teu furor; vão-se como um murmúrio.”
Ver: 10-“Os anos de nossa vida chegam a setenta, ou a oitenta para os que têm mais vigor; entretanto, são anos difíceis e cheios de sofrimento, pois a vida passa depressa, e nós voamos!”
Ver: 11-Quem conhece o poder da tua ira? Pois o teu furor é tão grande como o temor que te é devido.
Ver: 12-Ensina-nos a contar os nossos dias para que o nosso coração alcance sabedoria.
Ver: 13-Volta-te, SENHOR! Até quando será assim? Tem compaixão dos teus servos!
Ver: 14-Satisfaze-nos pela manhã com o teu amor leal, e todos os nossos dias cantaremos felizes.
Ver: 15-Dá-nos alegria pelo tempo que nos afligiste, pelos anos em que tanto sofremos.
Ver: 16-Sejam manifestos os teus feitos aos teus servos, e aos filhos deles o teu esplendor!
Ver: 17-“Esteja sobre nós a bondade do nosso Deus Soberano. Consolida, para nós, a obra de nossas mãos; consolida a obra de nossas mãos!”

 

Para Deus o tempo não existe. O homem, porém, que vive num dos planetas que giram em torno do sol, tem sua vida marcada pelo ritmo do tempo, criado pela troca entre dia e noite, pela passagem dos meses e dos anos; sua vida é limitada pelo tempo.

Pode-se dizer, assim, que há uma contradição total entre Deus e o homem, a ponto de podermos defini-la através de dois conceitos opostos:

A ETERNIDADE E A TEMPORALIDADE.

  1. É como o dia de ontem que passou (4) …são como o dia de ontem que passou
  2. Como a vigília da noite (4) …como as horas da noite.
  3. Nossos dias são breves como o sono (verso 5b).
  4. É como a relva que floresce de madrugada v. 6 ….brota pela manhã, mas, à tarde, murcha e seca., 
  5. Como um suspiro, ou como um murmúrio (9)…vão-se como um murmúrio
  6. Passa com um breve pensamento, como se voássemos (verso (10)...pois a vida passa depressa, e nós voamos

Como então viver esta vida tão frágil, tão breve, tão rápida? No versículo 12 ele então ora a Deus para aprender a viver lições que só Deus pode ensinar: “Ensina-nos a contar os nossos dias para que o nosso coração alcance sabedoria” (Salmos 90.120

 

É bom saber que Deus nos ensina a viver. Sem ele, mal conseguimos sobreviver. Com Ele, podemos viver a vida em toda a sua plenitude, já que Ele que distribui graciosamente sua compaixão. Com Ele nos ensinando poderemos ter um coração sábio. Como precisamos de um coração sábio.

Lições assim não se aprendem na escola.

Pr. Roque Carvalho

 

 

 

 



Comente: