A PÁSCOA NÃO REPRESENTA A RESSURREIÇÃO DE JESUS

10

abr

Se perguntarmos qual é a festa que representa a ressurreição de Jesus Cristo, todos responderão quase que a uma só voz, A PÁSCOA.


No dia 16 de abril deste ano é celebração da páscoa em que todos cristãos celebram a ressurreição de Jesus Cristo. A pergunta é: Qual é a festa judaica que que representa a ressurreição de Jesus? Devido a tradição e alguns equívocos, passou a fazer do entendimento cristão que a páscoa representa a ressurreição de Jesus Cristo. Se perguntarmos qual é a festa que representa a ressurreição de Jesus Cristo, todos responderão quase que a uma só voz, A PÁSCOA. Mas isto não é real, e não é esta a festa que retrata a ressurreição do Senhor Jesus Cristo.

Tradicionalmente as festas judaicas mais importantes são sete:

1 Festa da Páscoa – Lv 23.5,7;
2 Festa dos Asmos – Lv 23.8;
3 Festa de Pentecostes – Lv 23.15-16;
4 Festa das Trombetas – Lv 23.23-25;
5 Festa da Expiação – Lv 23.26,32;
6 Festa dos Tabernáculos – 1º dia de festa;
7 Festa dos Tabernáculos – último dia de festa – Lv 23.34,36.

No Velho Testamento, a Páscoa foi instituída por Deus quando o seu povo estava cativo no Egito. O seu significado e instituição se encontra a partir do livro de Êxodos (12: 1 a 28). Ela está relacionada com a décima praga, a morte dos primogênitos.  Durante aquela noite, o “anjo da morte”, passaria por toda a terra do Egito tirando a vida do primogênito de cada família (ÊX. 12.12).   A única forma de evitar a morte do primogênito era o sacrifício de um cordeiro ou cabrito sem nenhum defeito.  Eles deveriam ser sacrificados e comidos até o amanhecer acompanhados de pães ázimos (pães sem fermento), e com ervas amargosas (Êx. 12:1 a 10). A Páscoa teve um significado para os judeus de libertação da opressão e da escravidão egípcia.

No Novo Testamento, entendemos que a Páscoa tipificava a Jesus Cristo, o verdadeiro cordeiro de Deus, que libertaria os oprimidos e escravizados pelo pecado: “Eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (João 1.29). “Cristo a nossa Páscoa já foi crucificada por nós (1a Cor. 5.7).  “Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata e ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver, que por tradição recebeste de vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo” (1a Pedro 1.18,19).   “…o sangue de Jesus seu filho nos purifica de todo pecado” (1a João 1.7).   “Se, pois, o filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres” (João 8.36).  “Para a liberdade Cristo nos chamou; permanecei, pois, firmes e não vos dobreis novamente a um jugo de escravidão” (Gálatas 5.1).

FESTA DAS PRIMÍCIAS, OU DOS PRIMEIROS é a festa que representa a ressurreição de Jesus Cristo, e não a Páscoa. A Páscoa era realizada na sexta-feira. Três dias depois os judeus deveriam comemorar a festa das primícias; “Celebrem a festa da colheita dos primeiros frutos do seu trabalho de semeadura. “Celebrem a festa do encerramento da colheita quando, no final do ano, vocês armazenarem as colheitas”, (Êxodos 23.16). “No dia em que moverem o feixe, vocês oferecerão em holocausto ao SENHOR um cordeiro de um ano de idade e sem defeito”, (Lv.23:12). Era também conhecida como “Oferta de Movimento”. Esta festa indicava a ressurreição de Jesus após três dias. O primeiro molho de trigo que fosse colhido, isto é, as primícias, deveria ser movido perante o Senhor; “Diga o seguinte aos israelitas: Quando vocês entrarem na terra que lhes dou e fizerem colheita, tragam ao sacerdote um feixe do primeiro cereal que colherem. Ver: 11-“O sacerdote moverá ritualmente o feixe perante o SENHOR para que seja aceito em favor de vocês; ele o moverá no dia seguinte ao sábado.”  (Lv.23:10,11).

A ressurreição ocorreu três dias depois (dias judaicos), não são dias de 24 horas. “O Filho do Homem será entregue nas mãos dos homens, e o matarão; mas três dias depois da sua morte, ressuscitará” (Mc.9:31).

“…Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo Ele as primícias dos que dormem” (I Co.15:20). Cristo é “o primogênito de entre os mortos” (Cl.1:18). “…sendo o primeiro da ressurreição dos mortos…” (At.26:23).

Confundir a Páscoa como a festa que representa a ressurreição de Jesus aconteceu porque nos dias das primícias, ou em todas as festas um cordeiro é sacrificado. Nas primícias também o é, dia primeiro após a páscoa, mas Cristo já foi sacrificado. No dia primeiro após a páscoa, que é o sacrifício do cordeiro, Jesus Cristo já está ressuscitando e não mais morrendo, sendo sacrificado.

O apóstolo Paulo associa a ressurreição de Jesus a esta festa: Porque, se os mortos não são ressuscitados, também Cristo não foi ressuscitado. E, se Cristo não foi ressuscitado, é vã a vossa fé, e ainda estais nos vossos pecados. Logo, também os que dormiram em Cristo estão perdidos. Se é só para esta vida que esperamos em Cristo, somos de todos os homens os mais dignos de lástima. Mas na realidade Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem. Porque, assim como por um homem veio a morte, também por um homem veio a ressurreição dos mortos”, (1ª Co 15. 16-21).

No primeiro dia da semana, pela manhã, o sacerdote está movendo os molhos dos primeiros frutos e Jesus Cristo está ressuscitando.  A mão cheia de cevada representa os primeiros frutos da grande colheita, nova, sem fermento, pura, apresentada a Deus, que está para chegar.  Jesus Cristo está ressuscitando como o primeiro fruto, o primeiro a ser ressuscitado para nunca mais ver a morte, enunciando uma grande e nova vida, nova colheita, que virá após a sua ressurreição:

Em verdade, em verdade vos digo: Se o grão de trigo caindo na terra não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto”, (João 12.24).

“Se as primícias são santas, também a massa o é; e se a raiz é santa, também os ramos o são”, (Rm:11. 16)

“Mas na realidade Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem”, (Rm:15. 20)

“Cada um, porém, na sua ordem: Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na sua vinda”, (1ª Co:15. 23).

Imagine a cena: As seis horas da manhã o sacerdote, junto com o povo está movendo os feixes de molhos da primeira colheita, e JESUS CRISTO ESTÁ RESSUSCITANDO.

A morte está encurralada para todo o sempre. A festa das primícias que se segue, é também a ressurreição que aguarda aqueles por quem Jesus Morreu.

Amém!!!!!!!

Pr. Roque Carvalho

 

 



Comente: