PERDER PARA GANHAR

29

jan

De que adianta, ganhar o mundo inteiro e perder a sua vida. Você pode viver da melhor maneira possível, mas morrerá miseravelmente. Jamais foi visto um carro de mudanças acompanhando um enterro.  


PERDER PARA GANHAR

“Aquele que dá o que não pode manter, para ganhar o que não pode perder, não é um tolo”.(Jim Elliot)

 

Em qualquer área não queremos perder, não estamos preparados para a derrota:

Não queremos perder dinheiro.

Não queremos perder uma discussão.

Não queremos perder nosso lugar na fila.

Não queremos perder uma oportunidade de nos divertir.

Não queremos perder um jogo de futebol, já viu uma torcida comemorando um vice-campeonato?

 

A história de Jim Elliot, Nate Saint, Roger Youderian, Ed McCully e Pete Fleming: “Pelos Portões do Esplendor”, de Elizabeth Elliot. É o relato de uma das maiores tragédias no campo missionário, que em janeiro de 2006 virou filme também (“O Fim da Lança”). Aconteceu no Equador. Em 1956, esses cinco jovens eram recém-casados, começando a vida, as famílias e seus respectivos ministérios. Eles se uniram num objetivo: ganhar os Aucas para Cristo. Eles foram. Foram mortos pelos Aucas em de 8 de Janeiro de 1956, que no início foram receptivos, mas depois acabaram com assassinando com flechas e lanças os cinco missionários

 

As suas esposas, apesar da tragédia, continuaram a missão de evangelizar os Aucas. A tribo foi evangelizada e alguns anos mais tarde, e de forma impressionante, o assassino de Jim Elliot, agora convertido ao Senhor Jesus e líder da igreja na aldeia batizou a filha de Jim e Elizabeth no rio onde seu pai tinha sido morto.

 

A frase de Jim Elliot é um paradoxo: ““Aquele que dá o que não pode manter, para ganhar o que não pode perder, não é um tolo”. Paradoxo é uma “aparente falta de nexo ou de lógica, uma contradição”, conforme nos ensina o dicionário. Por exemplo, a expressão de Jesus: “…quem quiser salvar a sua vida por amor de mim perdê-la-á; mas quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á.  Pois que aproveita ao homem se ganhar o mundo inteiro e perder a sua vida? Ou, o que dará o homem em troca da sua vida? ” (Mateus 16.25). 

 

 Quem perder a sua vida, acha-la-á, é um paradoxo. Como pode algo acontecer ao mesmo tempo que seu contrário? A gente perde, ou acha a vida, mas perder e achar ao mesmo tempo é uma contradição, isto é, um paradoxo.  Se você tentou falhar e conseguiu, você descobriu o que é paradoxo. (Autor Anônimo)

 

Voltando a frase de Jim Elliot, “…não é um tolo”. Nos reportamos a uma parábola contado por Jesus sobre um homem que que acumulou riquezas e queria mais. Apostou que se tivesse muitos bens estaria garantido e em paz para o resto de sua vida, mas Jesus o chama de “louco”, (Lucas 12. 13-21) A palavra no grego é aphron, tolo, estúpido, insensato, sem reflexão. Jesus então diz: “ …tolo! Esta mesma noite a sua vida será exigida. Então que ficará com o que você preparou? (Lucas 12.20).

 

De que adianta, ganhar o mundo inteiro e perder a sua vida. Você pode viver da melhor maneira possível, mas morrerá miseravelmente. Jamais foi visto um carro de mudanças acompanhando um enterro.

 

A pessoa “perde” a sua vida quando a entrega para Jesus Cristo. Mas perde o que não pode manter. Quem pode garantir a vida? O seguro pode devolver o carro, a casa, a moto, mas não garante a vida. Entregar a vida a Cristo e ter a vida eterna: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”, (João 3.16).

 

Michael Jackson dormia numa cama de oxigênio para não envelhecer e viver mais tempo, utilizava uma câmara de oxigênio para dormir, mas não conseguiu evitar a morte.

 

“Aquele que dá o que não pode manter, para ganhar o que não pode perder, não é um tolo”. (Jim Elliot)

 

Pr. Roque Carvalho



Comente: