POR QUE A DATA DA CELEBRAÇÃO DA PÁSCOA MUDA A CADA ANO?

18

abr

O mais importante é colocar as coisas em seus devidos lugares. A Páscoa é mais do que ovos, chocolates, e coelhos, nada contra chocolates, nem contra os coelhinhos.


A Páscoa nem 2018 foi celebrada no dia 1º de abril, domingo. Este ano será celebrada dia 21 de abril, domingo. Em 2020 será celebrada dia 12 de abril, domingo. Porque há esta variação de datas? O nosso calendário foi estabelecido em 1582, pelo papa Gregório, chamado de gregoriano. É também chamado de calendário solar, diferente dos judeus que utilizam o calendário lunar. É o primeiro domingo depois da primeira lua cheia após o equinócio da primavera no Hemisfério Norte – equinócio de outono no Sul. Pode ocorrer entre os dias 22 de março e 25 de abril.

Páscoa para os judeus (Pessach, “passar por cima”) tem sua origem em (Êxodos 12. 1-51). É uma data celebrada pela libertação povo judeu da escravização no Egito.   Eles a celebram no primeiro dia de lua cheia da primavera no Hemisfério Norte, anualmente entre o dia 14 e 15 de nissan (ou nisã). Em 2019 será iniciada dia 15 de abril e dura de sete a oito dias.

Se a Páscoa teve um significado para os judeus de libertação da opressão e da escravidão impostas pelos egípcios, para nós, cristãos, ela tipificava a Jesus Cristo, o verdadeiro cordeiro de Deus, que libertaria os oprimidos e escravizados pelo pecado:

Eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (João 1.29).Cristo a nossa Páscoa  já foi crucificado por nós (1a Cor. 5.7).

“Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata e ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver, que por tradição recebeste de vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo (1a Pedro 1.18,19).   “…o sangue de Jesus seu filho nos purifica de todo pecado” (1a João 1.7).

“Se, pois, o filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres” (João 8.36).  “Para a liberdade Cristo nos chamou; permanecei pois firmes e não vos dobreis novamente a um jugo de escravidão” (Gálatas 5.1).

O mais importante é colocar as coisas em seus devidos lugares. A Páscoa é mais do que ovos, chocolates, e coelhos, nada contra chocolates, nem contra os coelhinhos. Mas, eles não têm nada a ver com a Páscoa e seu real significado.

Páscoa e a celebração da vitória da Vida sobre a Morte. Se o natal é importante pelo nascimento de Jesus, a Páscoa e a Festa das Primícias são a celebração de sua morte e ressurreição.  O fim da morte está decretado, e aqueles que creem em Jesus irão ressuscitar assim como ele: Declarou-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá; (João 11.25)

Roque Carvalho



Comente: