Porque um menino nos nasceu…

15

dez

O Natal anuncia que o futuro da humanidade, a esperança, a inclusão, a justiça, a igualdade, não está nas mãos dos senhores, dos poderosos, mas nas mãos de uma criança.


 

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” (Isaías 9.6).

O Natal anuncia que o futuro da humanidade, a esperança, a inclusão, a justiça, a igualdade, não está nas mãos dos senhores, dos poderosos, mas nas mãos de uma criança. A esperança do mundo, não vem  do forte, do capaz, mas da fraqueza, do menino que nasce na estrebaria, que é aquecido pelo cordeiro pois não tem com o que se cobrir

A sustentabilidade do mundo não depende das conquistas dos violentos, mas do favor daqueles que voluntariamente se entregam como dádivas da graça que a todos alcança, a todos incluem e a todos sustenta.

O principado está sobre os seus ombros, o destino do mundo, a esperança, sua minha, de Pedro, João, ou Maria, vem de uma criança que nasce numa estrebaria, que ironia sina, “Deus escolheu as coisa fracas do mundo para mostrar a sua força”, (1ª Coríntios 1.25,27).

Num mundo de truculência e violência, que preconiza e celebra a sobrevivência dos mais fortes e mais aptos, o que justifica a força bruta dos poderosos que se impõem sobre os fracos e desvalidos, Deus se ergue como aquele que alcança sua vitória através da pureza frágil do menino e da vulnerabilidade do menino que nasce entre os fracos e desprezados, excluídos.

O que entendemos sobre o Natal é que num mundo que exclui, Deus inclui, num mundo que segrega, diferencia, Deus não faz diferença, Deus é a esperança para os mancos, os rejeitados, os marginalizados, o natal é o nascimento do menino que a todos liberta.

SOBRE O MENINO REPOUSA A ESPERANÇA DO MUNDO

“Eu sou a Luz do mundo; quem me segue não andará em trevas; pelo contrário, terá a Luz da vida.” (Jo. 8:12)

 

“Eu sou o Caminho, e a Verdade, e a Vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.” (Jo, 14:6) (Jo, 14:6)

 

“Eu sou o Pão da Vida; o que vier a mim jamais terá fome; e o que crer em mim jamais terá sede.” (Jo. 6:35)

 

“Eu sou a Ressurreição e a Vida. Quem crer em mim não morrerá eternamente.” (Jo. 11:25-26).

 

Um feliz Natal

Roque Carvalho



Comente: