“QUARENTA OU TRINTA E NOVE BONS SOLDADOS DE CRISTO”

04

ago

Eles foram até as últimas consequências e suportaram com coragem o frio intenso, cantando: “40 bons soldados, 40 bons soldados de Cristo”.


 

No ano 313 E.C. tropas romanas se estabeleceram na cidade de Sebaste, na Armênia, (atualmente Turquia), o general romano, Agricola, por ordem do imperador, queria descobrir entre os seus soldados que eram ou não adoradores de Jesus Cristo. Era exigido que que eles declarassem o imperador como senhor.

Era inverno e entardecia quando o fato ocorreu. Dentre os soldados, 40, se recusaram a adorar o imperador e declararam que como cristão não podiam fazê-lo. Para eles só havia um Senhor, Jesus Cristo.

Suas roupas foram tiradas e eles foram colocados dentro de um lago gelado. O frio imobilizou suas articulações e começaram a congelar. Na margem do lago havia fogueiras e bacias como água quente, quem renunciasse à sua fé sairia do gelo e confessava o imperador como Senhor.

Eles foram até as últimas consequências e suportaram com coragem o frio intenso, cantando: “40 bons soldados, 40 bons soldados de Cristo”. No entanto, um dos soldados desistiu, e eles continuaram cantando: “39 bons soldados, 39 bons soldados de Cristo”. Um dos soldados que estava do lado de fora, tirou a roupa e entrou no gelo, e o cântico voltou a ser cantado: “40 bons soldados, 40 bons soldados de Cristo”.

 

A declaração de fé e os seus nomes ficaram registrados na história: “Até o presente combatemos e vencemos a serviço dum senhor mortal como nós; agora queremos lutar e vencer sob a bandeira de Cristo, que é o Deus verdadeiro, a quem devemos obediência e adoração”.  As quarenta assinaturas:

Viviano, Cândido, Leôncio, Cláudio, Nicolau, Lisiníaco, Teófilo, Quirão, Donulo, Dominicano, Eunóico, Sisínio, Heráclito, Alexandre, João, Anastásio, Valente, Heliano, Ecdício, Euvico, Acácio, Hélio, Teódulo, Cirilo, Flávio, Severiano, Valério, Cuidão, Prisco, Sacerdão, Etíquio, Êutiques, Esmaragdo, Filotiman, Aécio, Xantete, Angias, Hesíquio, Caio e Gorgônio. 

A fé cristã que chegou até nós hoje, foi preservado na fé daqueles que estavam dispostos a ir até as últimas consequências pelo que acreditavam. Quarenta ou trinta e nove bons soldados de Cristo? Qual a sua fé? Que fé você professaria hoje?

“Parem de vir à Cristo para subir na vida. O símbolo do Cristianismo é uma cruz e não uma escada.” (Augustus Nicodemus Lopes )

Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. (Atos 1.8)

 

Pr. Roque Carvalho

 



Comente: