UM CONTO JAPONÊS SOBRE AS MÃES

12

maio

Mãe, você está quebrando os galhos para marcar o caminho e poder voltar? A senhora não sabe que tenho que cumprir a tradição de nosso povo.


 

Conta-se que era costume no Japão antigo, quando os pais atingissem uma idade improdutiva os filhos deveriam leva-los a uma grande floresta e abandoná-los. Certa vez um filho teve incumbência de levar a sua mãe a uma floresta e a deixar lá para morrer. Em meio a galhos espinhosos e uma floresta densa ele ia à frente de sua mãe que com dificuldade o seguia-o a passos lentos devido ao peso de sua idade. Depois de caminhar várias horas ele olhou para trás e observou que a sua mãe estava quebrando pequenos galhos que marcavam o caminho de volta. Ele parou de caminhar e reprendeu a sua mãe de forma dura e sem nenhuma demonstração de afeto:

-Mãe, você está quebrando os galhos para marcar o caminho e poder voltar? A senhora não sabe que tenho que cumprir a tradição de nosso povo, e se não o fizer serei severamente castigado!

A velha senhora, que já não enxergava bem e caminhava lentamente devido a sua idade, respondeu de forma doce e calma:

-Meu filho, estou quebrando os galhos para marcar o caminho de volta para que você não se perca ao retornar!

Sensibilizado pela atitude da mãe ele a trouxe de volta e disse que sofreria qualquer castigo, mas que jamais poderia deixar a sua mãe na floresta para morrer. A história ganhou popularidade e chegou ao imperador que baniu para sempre esse costume.

Depois dessa comovente história, apanhei trecho da música de Francisco Petrônio, O Amor Mais Puro, e parafraseei para dizer a todas as, incluindo a minha com 89 anos, o quanto elas são maravilhosas e importantes.

Aqui vimos para a dizer a você mãe, o quanto você é importante: “Mãe, é o amor mais puro E mais profundo É uma só, que a gente tem no mundo”.   Vim para dizer-te que sempre, sempre ei de te amar. Mãe, Pensar que um dia poderás faltar-me, vivo a lamentar-me. Por isso, nas minhas orações, tenho pedido ao Senhor que nunca, nunca me falte o teu carinho o teu amor”.

Deus abençoe todas as mães

 Pr. Roque Carvalho

 



Comente: