Uma pergunta na noite Quanto falta para chegar o dia?

15

set

Noite pode ser associada ao fenômeno natural, ausência da luz. Noite pode ser associada a dor, a tribulação, desesperança, a julgamento, sofrimento.


No livro do profeta Isaías há um texto com uma pergunta sobre que horas ainda faltam para acabar a noite: “…Guarda, quanto ainda falta para acabar a noite? Guarda, quanto falta para acabar a noite? ”, (Isaías 21.11). Por trás da pergunta do profeta há muito mais do que saber quanto falta para terminar a noite, fenômeno natural, contrario ao dia. É uma pergunta profética sobre uma situação vivida, a noite é uma situação do presente, mais que simplesmente um fenômeno natural.

Noite pode ser associada ao fenômeno natural, ausência da luz. Noite pode ser associada a dor, a tribulação, desesperança, a julgamento, sofrimento. Jó amaldiçoou a noite em que nasceu: “Pereça o dia em que nasci, e a noite que se disse: Foi concebido um homem! (3.3). Ele não conseguia dormir a noite: “Havendo-me deitado, digo: Quando me levantarei? Mas comprida é à noite, e farto-me de me revolver na cama até a alva. ” (7.4).

Noite serve para tramas, traição. Judas traiu Jesus durante a noite. Os piores crimes são cometidos a noite. Os EUA escolheram a noite para atacar o Iraque. Jesus usou a noite como metáfora para realizar o projeto do reino de Deus: É necessário que façamos as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar”, (Jo 9.4).

Seguindo a linha de raciocínio, ao contrario do da noite, o dia pode se associado à luz, amanhecer. Os dois nunca habitam juntos quando um chega o outro sai. Ou é dia ou é noite. Dia pode ser associado à esperança: “As misericórdias do Senhor se renovam a cada manhã” (Lm 3.22). O fim de uma dificuldade: “O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã” (Sl 30.5). O dia surge com uma clarear de uma nova perspectiva, uma nova possibilidade, como o fim de uma situação e o inicio de uma nova: “Amanhã será um novo dia”; nada como um dia depois do outro.

O que o autor que mesmo saber com a pergunta é quando a noite terminará? Duas vezes ele pergunta “Guarda, que horas são da noite”, parece que as horas não passam, a noite é longa, ele insiste: “Que horas são?” “Que horas são?” O “relógio não anda”. Quando! Quando! Quando! Até quando os meus sofrimentos vão durar? Até quando eu terei que suportar tanta dor? Até quando eu serei injustiçado? Até quando sofrerei acusações injustas, calúnias? Até quando! Até quando! Até quando! É a luta contra o tempo.

 

Quem pode responder? Quem pode saber o futuro do dia seguinte? É alguém que pode ver o dia raiando, que está acima, é o guarda da torre que está acima de quem pergunta. A pergunta é respondida no versículo a seguir: “O guarda responde: “Logo chega o dia…”, (Isaías 21.12). O amanhã virá. A noite terá fim. É o que nos diz Apocalipse 22.5: “E não haverá mais noite”. A resposta vem quando sabemos a quem perguntar. Veio à noite escura na vida de Jesus, mas veio a manhã de ressurreição. Pode haver noites escuras e longas, mas para quem crê naquele que venceu a “noite” sempre haverá uma manhã de ressurreição: Ele não está aqui; ressuscitou, como tinha dito. Venham ver o lugar onde ele jazia.” (Mt 28.6)

Roque Carvalho



Comente: